Notícias

Enxaqueca: exposição à luz causa respostas emocionais e físicas

Uma equipe de investigadores descobriu uma relação entre as células nervosas sensíveis à luz e as partes do cérebro que regulam o humor, bem como vários parâmetros físicos.
 
As pessoas que sofrem de enxaqueca tendem a evitar a luz e procurar alívio na escuridão devido ao facto de aquela provocar sensações físicas desagradáveis, bem como emoções negativas.
 
Num estudo conduzido pelo Complexo Clínico Beth Israel Deaconess (BIDMC, na sua sigla em inglês), EUA, a equipa descobriu que ao estudar os efeitos da cor na intensidade das enxaquecas alguns pacientes disseram sentir desconforto com a luz mesmo que aquela não fizesse piorar a dor de cabeça.
 
“Descobrimos que a exposição à luz de diferentes cores podia fazer os pacientes com enxaqueca sentirem-se irritados, zangados, nervosos, deprimidos e ansiosos. Estes pacientes também disseram sentir desconforto físico, incluindo aperto no peito ou garganta, falta de ar, tonturas e náuseas”, explicou Rami Burstein, autor principal do estudo.
 
A equipa mostrou luzes de cores diferentes aos participantes e pediu-lhes para descreverem o que sentiam.
 
Os efeitos das luzes e cores foram testados três vezes: uma vez para quem nunca tinha tido enxaqueca e duas vezes para os participantes que sofriam de enxaqueca, sendo uma durante uma crise de enxaqueca e outra entre crises.
 
Os participantes que não sofriam de enxaqueca não relataram ter tido uma resposta fisiológica forte quando expostos a qualquer cor de luz, mas disseram que todas as cores tinham provocado emoções agradáveis nos mesmos.
 
Para os participantes com enxaqueca os resultados foram bem diferentes. Todas as cores das luzes desencadearam sensações fisiológicas desagradáveis neste grupo, tanto durante como entre as crises de enxaqueca.  
 
Este grupo experienciou também respostas emocionais intensas como tristeza, nervosismo, ansiedade, medo e depressão quando foram expostos a todas as luzes exceto a verde.
 
Num outro ensaio com ratazanas foram identificadas ligações entre as células nervosas na retina (parte anterior do olho onde a luz é detetada) e os neurónios que se estendem até regiões do cérebro que regulam as respostas emocionais, fisiológicas, endócrinas e autonómicas a alterações no ambiente externo. 
 
“Agora temos uma explicação física do porquê de os pacientes com enxaqueca terem reações negativas à luz”, explicou o autor principal do estudo. Com este avanço o investigador espera que no futuro seja possível a quem sofre de enxaqueca, deixar de sentir a dor e também o desconforto físico e emoções negativas que a luz suscita nestas pessoas.

 

Fonte: Banco da Saúde

Multilojas Solução em Internet em Ribeirão Preto